8 de jul de 2008

31º Festival Guarnicê de Cinema

Depois da decepcionante seleção de longas-metragens em um dos principias festivais de cinema do Brasil, o Cine-PE (Recife - PE), voltar a atenção a curtas- metragens no 31° Festival Guarnicê de Cinema (São Luis - MA), realizado entre os dias 15 e 21 de junho, foi um suspiro aliviado quando se fala na qualidade da produção nacional.

Com uma longa seleção de vídeos e filmes de curta duração, o festival não deixou a desejar em organização e qualidade de selecionados. É claro que, em meio a tantos filmes e vídeos, nem todos são de agrado geral, e convenhamos que a seleção de vídeos maranhenses foi muito forçada, salvo o vídeo-documentário Canoa de um Pau Roxo, de Gabriela Morchel Piccolo e Alberto Graciano (vencedor do troféu de Melhor Vídeo Maranhense pelo Júri Técnico) e o maravilhoso Pelo Ouvido , do diretor Joaquim Haikel, o qual infelizmente não saiu da esfera local quanto aos prêmios que recebeu (vencedor do prêmio de Melhor Atriz e Melhor Vídeo Maranhense pelo Júri Popular); poderia facilmente ter ganho, no mínimo, Melhor Ficção (recebido pelo vídeo O Filme do Filme Roubado do Roubo da Loja de Filmes, de Marcelo Yuka, Paulo Silva e Júlio Pecly); sem falar da sensível película O Incompreendido, de Francisco Colombo.

Vale salientar a aparição de uma abordagem que vem sendo recorrente na nova produção audiovisual brasileira. Depois de uma onda de roteiros complexos, pesados e até deprimentes, observa-se a tendência da execução de peças divertidas, com leveza e sem perder sensibilidade, temas antes difíceis se tornam fáceis na visão desses novos realizadores. Bons exemplos são os vídeos Amanda e Monick, de André Costa (Melhor Vídeo pelo Júri Técnico), Suzi Brasil – a Deusa da Penha Circular, de Renata Than (prêmios de Melhor Montagem, Direção e Melhor Vídeo pelo Júri Popular) e Muito Além do Chuveiro de Poliana Paiva.

Entre as películas, Dez Centavos, de Cesar Fernando de Oliveira, mereceu, sem dúvida alguma, os prêmios recebidos (Melhor Direção, Melhor Ator, Melhor Ficção, Melhor filme Nacional pelo Júri Técnico e Popular). Humano, simples, atual e muito bem executado, promete sucesso no circuito de festivais. Nesta mostra ainda é bom destacar Câmera Viajante, de Joel Pimentel (prêmios de Fotografia, Melhor Documentário), Enciclopédia do Inusitado e do Irracional, de Cibele Amaral e Café com Leite, dirigido por Daniel Ribeiro.

As animações, em vídeo e filme, merecem atenção especial. Tanto em técnica como em roteiro, o nível deste segmento se mostrou alto e cheio de potencial para uma próxima safra brasileira de longas animados. Ícarus, Victor-Hugo Borges (prêmio de Direção de Arte), caprichou na arte e fotografia, além de manter um roteiro bonito e consistente. O divertidíssimo, bem estruturado e executado Até o Sol Raiá, de Fernando Jorge e Leandro Amorim, poderia ter saído com mais reconhecimento (vencedor do troféu de Melhor Roteiro). Quanto às animações em vídeo, o grande destaque foi Lumén, de William Salvador (troféus de Melhor Roteiro, Direção de Arte e Melhor Animação), realizado em stop motion, é um curta muito bem resolvido, esteticamente e em seu roteiro. Com bom ritmo, é direto sem cair no óbvio, tem fotografia e arte bem trabalhadas, merecidamente Lúmen terá grande e longa carreira.

Depois desse panorama em um dos mais antigos festivais de cinema do país, que acontece em uma cidade tão rica culturalmente, um detalhe importantíssimo não pode deixar de ser citado: em meio ao esforço para o desenvolvimento e aumento qualitativo nas produções brasileiras, cada vez mais caprichadas em todos os aspectos audiovisuais, foi vergonhoso e, às vezes, até desrespeitoso presenciar exibições com som horroroso, o que acabou por prejudicar vários competidores. Um festival tradicional como o Guarnicê não precisa deste detalhe em seu currículo. Por isso, espera-se que uma falha tão gritante não aconteça novamente.


Todos os vencedores do Festival Guarnicê 2008:
35 mm:
Menção Honrosa: Ronyel Sales, pela canção-tema do filme Juca Pé de Bode
Melhor Argumento: Camilo Cavalcante (O Presidente dos Estados Unidos)
Melhor Roteiro: Eduardo Felipe, Fernando Jorge e Leandro Amorim (Até o Sol Raiá)
Melhor Fotografia: Eusélio Gadelha (Câmera Viajante)
Melhor Montagem: Rosária e Erica Valle (Ele)
Melhor Trilha Sonora Original: Ruggero Ruscchioni (Pajerama)
Melhor Trilha Sonora Adaptada: Ele
Melhor Direção de Arte: Victor Hugo Borges (Ícarus)
Melhor Ator: Jorge Junior (Dez Centavos)
Melhor Atriz: Adriana Ferreira Coelho Lodi (Entre Cores e Navalhas)
Melhor Direção: César Fernando de Oliveira (Dez Centavos)
Melhor Filme Maranhense (Júri Popular): Ódio, de Breno Ferreira
Melhor Filme Maranhense (Júri Técnico): O Incompreendido, de Francisco Colombo
Melhor Documentário: Câmara Viajante, de Joel Pimentel
Melhor Ficção: Dez Centavos, de Cesar Fernando de Oliveira
Melhor Animação: Ele, dos Alunos da Rede Municipal de Ensino de Vitória
Melhor Filme Nacional (Júri Popular): Dez Centavos, de Cesar Fernando de Oliveira
Melhor Filme Nacional (Júri Técnico): Dez Centavos, de Cesar Fernando de Oliveira

Vídeo:
Melhor Argumento: Amaro Filho (Ligações)
Melhor Roteiro: Willian Salvador (Lúmen)
Melhor Fotografia: Breno César (Banzo Analítico)
Melhor Edição: Christian Caselli (Suzi Brasil - a Deusa da Penha Circular)
Melhor Trilha Sonora Original: Charles Torres (Rua das Tulipas)
Melhor Trilha Sonora Adaptada: Júlio Conde (Desenhando Cultura)
Melhor Direção de Arte: Willian Salvador (Lúmen)
Melhor Ator: Juliano Barros (Bem Intocado)
Melhor Atriz: Amanda Acosta (Pelo Ouvido)
Melhor Direção: Renata Than (Suzi Brasil - a Deusa da Penha Circular)
Melhor Vídeo Maranhense (Júri Popular): Pelo Ouvido, de Joaquim Haickel
Melhor Vídeo Maranhense (Júri Técnico): Canoa de um Pau Roxo, de Gabriela Morchel Piccolo e Alberto Graciano
Melhor Documentário: Loucos de Futebol, de Halder Gomes
Melhor Ficção: O Filme do Filme Roubado do Roubo da Loja de Filmes, de Marcelo Yuka, Paulo Silva e Júlio Pecly
Melhor Animação: Lúmen, de Willian Salvador
Melhor Vídeo Nacional (Júri Popular): Suzi Brasil - a Rainha da Penha Circular, de Renata Than
Melhor Vídeo Nacional (Júri Técnico): Amanda e Monick, de André da Costa Pinto

6 comentários:

Alessandro de Paula disse...

Ah, bem que eu gostaria de ver esses trabalhos!

Vou tentar me lembrar quando rolar algum festival por aqui! :D

Alessandro de Paula disse...

Aliás, acabei de sacar que alguns deles já estão no You Tube. É ir atrás!

Di Carlo disse...

Opa, vou conferir no YouTube!

Alessandra disse...

Olá! Estou comentando para mudar uma colocação sua: felizmente o curta Pelo Ouvido não ficou só na esfera local. Antes do Guarnicê, o filme ganhou prêmio de melhor diretor no festival de Boston, além de prêmio especial do júri e de melhor atriz no festival de Cabo Frio. E parece-me que foi exibido em outros festivais internacionais :)

roberto vagner disse...

Alessandra, acho que a Danielle se referiu especificamente a esse festival.

Anônimo disse...

Infelizmente William Salvador faleceu hoje 8 de Junho.
Na ultima quinta feira ele foi atropelado por um onibus enquanto andava de bicicleta , e estava em coma induzido.

Fica a saudade

 
Free counter and web stats